18 de jul de 2011

seja leve
brasa
brisa breve

releve
renove

revele-se

Admiração

Das muitas atitudes humanamente imperfeitas, poucas são mais belas que a sinceridade. Bendito seja o sim absoluto e inquestionável, acompanhado pela troca de olhares e pela proximidade dos lábios que não admitem o detestável sabor do talvez. Louvado seja o não, ainda que passageiro, dito com alguma graça e toda a leveza possível, explorando o toque suave da brevidade da negativa.
Que, apesar das discrepâncias e acima dos pré-conceitos, aconteçam os encontros. Que possamos ser melhores aos nossos olhos para não sofrer ao contemplar o espelho revelado a partir do olhar alheio. Que a capacidade de acolher sobreponha a urgência dos julgamentos quase sempre equivocados.
Para que possamos ser maiores a ponto de nos virmos infinitamente pequenos quando descobrirmos que somos todos um só; que, através de nós, revele-se e reverbere do outro tudo aquilo que é digno de admiração.

6 de jul de 2011

Biografia do Saramado, mais uma. Sagarana, do Guimarães Rosa; haverá um dia lindo e faremos amor quando meus neologismos finalmente encontrarem os seus. O Mal de Montano, Enrique Vila-Matas, que é sempre bom de ler; dizem que escreve para escritores, mas sinto que escreve para mim. Contos dos Irmãos Grimm, da Clarissa Pinkola Estés, sempre presente na cabeceira e na vida - a autora, não esse livro, que ainda não li, mas vi que tem um dos mais belos projetos gráficos e ilustrações. Aprendendo a Viver, da Clarice, que só quando comecei a ler descobri que é a republicação das melhores crônicas publicadas em A Descoberta do Mundo, que ganhei do meu pai, com dedicatória e tudo, e já li há séculos. Deve haver algum motivo para que os textos tenham voltado para mim. Descobrirei. Contra um Mundo Melhor, Luiz Felipe Pondé; conheci o autor em um café filosófico e gostei do título. A arte do livro é belíssima também. E, finalmente, a Viagem a Portugal; por ora, no livro do Saramago, que lerei aos poucos, com medo de acabar. Algumas das palavras que penetram na carne terminam na pele.
Férias escolares, primeiro dia.