29 de jan de 2014

Tuitéria


Afetuar é como abraçar inteiro até desfazer o nó.

***
Afetuar a acontessência das pessoas e das coisas todas.

***
***

T R A N S F O R (A) M A R

***
Reamar é ser surpreendida pela felicidade alegre de um amor antigo.

***
***

Só ganho corpo quando encontro um deslugar.

***
Um corpo em movimento é um corpo pulsante: dançar é [en]tornar-se coração.


26 de jan de 2014

Primavera 


Provisiono dedos, tato e saliva
Dispenso pente e espelho
A camisa é manchada
O hálito e o enxágue bucal
A barba; o eu não pensa - é acaso, externo - só para quem vê.
Quando o toque:
ferro de passar
calça
sapato
camisa florida.



Do BFM

22 de jan de 2014

Sublinhamento

Talvez não tenha José dito isto, mas escrevo-o eu agora: graças aos livros e às pessoas que eles contêm, podemos evitar a sensação de orfandade e solidão que tantas vezes nos espreita. Sabendo dos outros que foram, de um passado que por abrir um livro se torna presente, podemos reconhecer-nos a nós próprios, ao mesmo tempo que nos situamos numa comunidade de conhecimento que nos justifica e dignifica.


Excerto do Diário de Viagem de Pilar (del Río), no quarto volume dos Cadernos de Lanzarote, de José Saramago

4 de jan de 2014

o silêncio, você sabe, é arma fatal e buraco infinito; uma fenda profunda que acumula sensações multiplicadas pelo vazio. o amor desexiste quando absorvido pelo vácuo das não-palavras. nos recônditos do vão silente, as mágoas enraizadas aprendem a verdejar. não precisamos de tranquilidade ou calma para cultivar jardins de maus sentimentos. há dores belíssimas, repletas de luz e cor, capazes de metatastasear em todos os interiores do caos.


engana-se quem pensa que o abandono é cinza. somos capazes de colher decepções inconsoláveis nos canteiros do corpo azul.